June 17

Minha Estadia em VGS

Introdução

Quando cheguei aqui em VGS, uma das primeiras coisas que falei para a vó foi que “se em algum momento ela se sentir desconfortável com a minha presença aqui, é só me informar que me retiro sem problema algum e sem qualquer tipo de ressentimento, sem levar para o lado pessoal”, e isso aconteceu nos dias 14 e 17 de junho.
Mas antes disso, deixe-me dar um passo atrás e relatar outras coisas.

Desde a época em que a vó estava se sentindo mal lá em Mauá, na casa da tia Heliete, eu me ofereci para acompanhá-la para cá caso ela realmente viesse para VGS, como estava afirmando querer fazer.

Levou ainda algumas semanas antes que ela realmente voltasse; quando me informaram que ela estava voltando, agilizei minhas coisas da melhor forma, no menor tempo que me foi possível, peguei dinheiro emprestado para a passagem e vim para cá, até pelo fato de o meu trabalho, inicialmente falando, permitir tal coisa.

Também sempre deixei claro que meu sono é completamente anormal e que isso poderia gerar algum tipo de confusão.

Sobre meu trabalho

Depois que me instalei aqui e montei meus equipamentos, pensei que meu trabalho não seria afetado por ter conexão com a internet, mas o contrário se mostrou mais verdadeiro.

Para que eu execute meu trabalho, preciso de mais coisas além dos meus equipamentos e conexão com a internet; coisas como privacidade, algum silêncio em alguns momentos e tranquilidade para seguir o fluxo de criatividade e concentração (entre outras coisas).

Acontece que em uma aula online em que participei como assistente e convidado, mesmo após ter informado (com antecedência de três dias, um dia, duas horas e uma hora antes do início da aula) que do horário X ao Y eu precisaria de privacidade, de silêncio, etc., a vó veio para a cozinha minutos após o início da aula (onde eu estava com a webcam e microfone abertos) e começou a lavar o fogão, (exatamente atrás de mim e totalmente visível na webcam), sem mais nem menos. Fui obrigado a mentir e inventar uma desculpa para sair da aula online para não ter que impedir que a dona da casa fizesse o que quer em sua própria residência.

Noutro dia, durante o atendimento de um cliente novo, (cuja queixa é problemas com ereção), a vó novamente veio para a cozinha e começou a jantar; o Nicolas e Benjamim abrem a porta já falando (bem alto) do nada, a Magda para na janela e começa a fazer perguntas para a vó e ambas ficam papeando (em voz alta) enquanto estou atendendo… 😓

Algumas vezes, quando começo a ficar focado e entrar em flow para redigir, estudar ou criar algo, sou interrompido por um pedido ou tenho que parar o que estou fazendo para ir fumar lá fora (na minha casa, eu fumo dentro de casa, o que me garante mais concentração) e lá se vai a concentração (e vou precisar de ± 20 minutos de tranquilidade para recuperar aquele estado de criatividade e inspiração).


Enfim, toda essa longa introdução foi só um resumo para explicar porque meu trabalho não está sendo possível de ser realizado minimamente como eu acreditava que poderia acontecer.

Sem que eu consiga trabalhar corretamente, minha casa está lá parada e fechada há mais de 30 dias e não consegui juntar o valor do aluguel, água e luz.

Minha estadia em VGS

Sair de São Paulo e ficar uma temporada no interior já era algo que eu estava querendo há bastante tempo, mas para tudo há limites e condições.

Minha rotina está completamente irregular; analogamente falando,¹ é como se eu estivesse trabalhando ininterruptamente há mais de um mês, num local sem privacidade, sem descanso, precisando permanecer alerta quase que 24h por dia e sem direito a folga, finais de semana, pagamento, etc.

Claro que estar na casa da avó é excelente, e isso não se discute. Mas há limites. Tenho rotinas próprias que dificilmente se adequam às rotinas sociais e/ou das demais pessoas, como minha rotina de sono, por exemplo, que é controlada pelo meu Ciclo Circadiano anormal, pela SAFS, (Síndrome do Atraso das Fases do Sono) e pela Hipersonia. Lembrando que eu já havia mencionado antes de vir para cá e deixado bem claro que essas são condições que não tenho poder de escolha e/ou controle.

Mas também preciso de uma vida social relativamente normal. Preciso desopilar a mente, extravasar e me divertir. Em minha casa, posso simplesmente optar por maratonar uma série, assistir um filme ou anime, sair com amigos, beber uma cervejinha, etc. Já aqui, não tenho como fazer tais coisas, pois não estou na minha casa e não controlo as rotinas de todos os presentes. Não posso simplesmente pegar o controle remoto e trocar de canal quando quero, colocar o filme que quero para assistir, ou sequer escolher o volume da TV.

Até para fazer o que vim aqui fazer, não posso simplesmente decidir sair para tomar uma cerveja sem hora para voltar para casa só para extravasar porque não estou na minha casa e preciso estar a disposição dela para trocar o curativo da perna no horário que ela escolhe.

Até onde (e que horas) vou dormir, se no sofá ou na cama, não tenho como escolher; preciso aguardar que ela decida onde (e que horas) vai dormir para só então saber o que farei.

Resumindo tudo isso, somado ao excesso de reclamações sobre tudo e qualquer coisa (estou para ver alguém mais pessimista que a vó Dirce), minha própria saúde mental está começando a ser comprometida, estou cansado, ficando irritável e estressado mais rápido e com mais facilidade do que o normal, e pode acontecer de uma hora ou outra eu acabar sendo mais áspero ou rude na minha fala ou em alguma colocação e magoar a vó, de forma que ela “pioreça” ainda mais ao invés de “melhorecer”, como diria um amigo meu (SIC).²


Possível solução

Preciso que alguém se disponha a vir me render e tomar meu lugar, até que sua perna esteja plenamente recuperada. Falta pouco para que sua perna se recupere completamente (acredito que pelo menos mais duas ou três semanas sua perna já estará plenamente cicatrizada); ela está tomando antibiótico, xarope para tosse (seca) e dipirona (para diminuir a dor na perna e no peito devido às crises de tosse), medicamentos esses receitados pela médica do hospital que diagnosticou um começo de pneumonia.

A parte em destaque é a casca do ferimento que caiu sozinha no dia seguinte.
© Michael. R. Souza, 2022/06/13.

É totalmente desaconselhável deixá-la sozinha aqui, pois ela tem o péssimo hábito de dar ouvidos ao que vizinhos e estranhos falam, recomendam e/ou sugerem e acabar tendo algum prejuízo ao tomar alguma medicação errada, caseira ou sendo ludibriada e tomando prejuízo financeiro.

Dias atrás, após eu me negar a ir buscar uma medicação (que necessita de receita médica para ser adquirida) que ela não possui receita, ela pagou para outra pessoa (que dizia possuir uma receita válida) ir comprar para ela. No caso, trata-se de um xarope para tosse (expectorante) que ela disse já ter tomado antes.

“Ambroxmel”, o remédio adquirido sem a receita. • © Michael. R. Souza, 2022/06/11.

Quando a levei ao hospital por causa da crise de tosse que vinha aumentando gradativamente nos dias anteriores, levei uma foto dos medicamentos que ela estava tomando por iniciativa própria (e em desconformidade com a minha orientação). A médica, Dr.ª Alessandra Rodrigues (não decorei o CRM dela), enfatizou a importância de só utilizar medicação mediante orientação médica! E exemplificou dizendo que o xarope que ela precisa ingerir é para tosse seca, e não o expectorante (que só atrapalharia ainda mais sua recuperação) que ela havia pagado para outra pessoa comprar.


Permanecer mais tempo aqui pra mim está se tornando impraticável; como um “EUpresário” que sou, preciso cuidar da minha “EUpresa” pra conseguir manter o pouco que tenho.

Acredito que consegui resumir aqui de forma bem clara como é que me sinto e como é que as coisas estão, e agora preciso da ajuda e colaboração de vocês! Quem, dentre vocês, virá me render, tomar o meu lugar, para que eu possa voltar pra casa e correr atrás do meu prejuízo? 🤔

Atenciosamente,
Michael R. Souza
Quinta-feira, 17 de junho de 2022.


  1. Analogia é uma relação de semelhança estabelecida entre duas ou mais entidades distintas. O termo tem origem na palavra grega “analogía” que significa “proporção”.
    Pode ser feita uma analogia, por exemplo, entre cabeça e corpo e entre capitão e soldados. Cabeça (cérebro) e capitão são duas entidades análogas. Possuem função semelhante que, neste caso, é comandar, dar ordens. De igual forma, corpo e soldados exercem a mesma função que é obedecer às ordens. | [Significados.com.br] ↩︎
  2. SIC é um advérbio latino que em português significa “assim”, “desse modo”, “desta forma”, “exatamente assim” e “assim mesmo”.
    A palavra “sic” é escrita entre parênteses, após uma palavra ou frase, de terceiros, quando estas apresentam algum erro na forma em que estão escritas, ou que aparentem estranheza, mas foi dessa forma que o autor escreveu.
    Sic é usado em vários países e tem o mesmo objetivo, ou seja, mostrar ao leitor que foi "exatamente assim" que a palavra ou frase foi escrita pelo autor. | [Significados.com.br] ↩︎